Eduardo Saverin

Neste artigo vamos te contar todos os detalhes sobre o empresário e investidor brasileiro, Eduardo Saverin.

Você vai ver como ele começou, como foi sua participação no Facebook, e outros detalhes de sua carreira.

Além disso, vamos falar sobre a fortuna de Eduardo Saverin e todas as polêmicas que seu nome está envolvido.

Quem É Eduardo Saverin?

Eduardo Saverin é um empresário e investidor bilionário.

Ele é extremamente discreto e raramente é visto; dar entrevistas ou aparecer na mídia também não é habitual para ele.

Depois do sucesso do Filme A Rede Social seu nome ficou bastante conhecido devido a sua participação no crescimento do Facebook.

Apesar de polêmicas e disputas judiciais, seu nome está entre os fundadores da maior rede social do mundo.

A História De Eduardo Saverin

Eduardo Saverin nasceu em 19 de Março de 1982 na cidade de São Paulo.

Ele é de origem Judaica e filho do empresário Roberto Saverin, e da psicóloga Paula Saverin.

A família sempre teve uma condição financeira robusta graças ao seu avô Eugenio Saverin, fundador da marca de roupas infantis Tip Top Eugen.

Eduardo e seus pais tiveram a vida impactada pelo confisco das poupanças realizado pelo governo do então presidente Fernando Collor de Mello, no início dos anos 90.

Além da dificuldade do congelamento, o país passava por uma crise. A somatória de fatores levou a família a mudar de país.

Eduardo, e seus pais foram morar em Miami quando ele tinha 11 anos de idade.

O Garoto Promissor:

Por lá seu pai fundou uma empresa de exportação de medicamentos que existe até hoje; já Eduardo desde cedo chamou a atenção dos professores por ser um estudante brilhante e um exímio jogador de xadrez.

Graças às suas habilidades acadêmicas ele conseguiu vencer vários concursos estudantis e também conseguiu uma bolsa de estudos para a parte de sua educação. 

Alguns anos depois o garoto prodígio conseguiu ingressar na prestigiada Universidade de Harvard para estudar economia.

Logo nos primeiros anos ele mostrou uma capacidade muito grande de operar no mercado financeiro.

Operações essas que tiveram a participação de outros estudantes do campus.

Na mais famosa delas o brasileiro conseguiu uma operação que lhe rendeu 300 dólares de lucro após apostar em ativos no setor de petróleo.

O feito chamou a atenção da Universidade que posteriormente lhe conferiu uma honraria de distinção acadêmica por suas habilidades no mercado financeiro.

Apesar de ter sido retratado no filme a Rede Social como alguém descolado, e popular, o próprio Eduardo garante que sempre teve a mesma postura discreta.

Eduardo Saverin e Mark Zuckerberg:

Filme a rede social -

Mark Zuckerberg se aproximou do brasileiro durante os eventos da Fraternidade que os dois participavam em Harvard.

Quase que imediatamente os dois tiveram grande afinidade já que ambos tinham o espírito empreendedor.

Nesse contato, no início de 2004, Zuckerberg apresentou para Eduardo Saverin o projeto que daria origem ao The Facebook. O encontro entre os dois foi retratado no filme “A Rede Social”.

Ele acabou convencendo o brasileiro a ser o primeiro sócio-investidor da rede social.

Especula-se que o investimento foi de 15 mil dólares por uma participação de 30% no negócio.

Além do aporte, Eduardo seria o responsável pela parte financeira do negócio e por trazer anunciantes para a rede social.

Enquanto participava do Facebook, Eduardo também se dividia em outras atividades como a realização de estágios em empresas.

Durante os meses que esteve na função Eduardo Saverin não conseguiu trazer nenhum anunciante para plataforma, de acordo com os relatos de alguns funcionários da empresa.

Há também acusações de que, no mesmo período, o brasileiro estava mais ocupado trazendo anunciantes para outra plataforma que ele estava envolvido, o jogo Puzzle.

É sabido, inclusive, que ele teria veiculado anúncios de sua plataforma gratuitamente nas páginas do Facebook.

Enquanto isso Zuckerberg decidiu largar os estudos para se dedicar integralmente ao negócio; já Eduardo Saverin preferiu continuar os estudos até se formar em 2006.

Posteriormente Eduardo passou a trabalhar em Nova York onde ele tocava ações paralelas à rede social.

O Rompimento:

O estopim da confusão veio quando Zuckerberg contratou Sean Parker, o criador da falecida plataforma Napster, que havia popularizado o download gratuito de músicas em MP3 no final do século 20.

Parker seria um novo CEO da rede social e receberia ações da companhia como parte do acordo. Além disso, ele seria o novo responsável por viabilizar a rede social atraindo patrocinadores e investidores para o negócio

Ele acabou conseguindo isso de forma bem rápida.

A entrada e as ações de Parker não agradavam a Eduardo. Até porque elas entravam em conflito com suas próprias atribuições no negócio.

Essa questão minou sua relação com Zuckerberg e com os demais membros da empresa.

Em meio a um crescimento exponencial, e recebendo aportes cada vez maiores, Mark Zuckerberg decidiu criar uma nova empresa para absorver as operações da rede social.

A nova empresa teria novo estatuto social e uma nova distribuição societária.

Para conseguir essa nova composição era necessária a anuência de Eduardo Saverin que assinou os documentos sem discutir.

A nova composição diluiria as ações do brasileiro e faria com que ele tivesse apenas 5% do negócio, e praticamente eliminava todas as suas funções dentro do negócio.

O documento acabava até mesmo retirando o seu nome do rol de fundadores da rede social.

Segundo Eduardo o documento não deixava claro que ele estava abrindo mão de suas ações e funções dentro do negócio

Isso causou sua revolta e, em retaliação, ele bloqueou a conta bancária da empresa que estava sob seu poder.

A expectativa era de tentar reverter a situação, mas não adiantou.

A Disputa Judicial: 

De todos esses conflitos surgiram uma série de acusações de ambos lados. Até que essa briga acabou indo parar na justiça.

O brasileiro entrou com um processo contra a empresa; eles acabaram fazendo um acordo extrajudicial.

Especula-se que pelo acordo Eduardo tenha ficado com pouco mais de 2% das ações da rede social, o que ainda assim lhe confere uma participação bilionária no negócio

Além disso, pelo acordo seu nome também reapareceu na lista pública dos fundadores do Facebook

Os Outros Negócios De Eduardo Saverin:

Eduardo Saverin

Completamente fora da empresa Eduardo Saverin continuou empreendendo e passou a atuar também como investidor-anjo de startups.

Uma delas foi  uma espécie de enciclopédia visual ele investiu cerca de oito milhões de dólares na empreitada em 2011; o negócio faliu em 2013.

Em 2015 ele também criou um fundo de investimentos ao lado de um ex-colega de Harvard. O fundo bi capital group que investe em Startup de Comércio e logística.

Segundo a Forbes eles já investiram em mais de 20 empresas com atuação na Europa e Ásia.

Atualmente Eduardo Saverin vive em Cingapura, local ao qual passou a ter cidadania.

Para morar no país ele teve de renunciar à cidadania americana, pois só é permitida uma única cidadania para os residentes.

Na ocasião houve diversas especulações de que Saverin deixou os Estados Unidos por conta de uma possível taxação de 15% sobre sua fortuna em razão da primeira oferta pública de ações do Facebook.

Por lá ele vive uma vida extremamente discreta com sua esposa Elaine Andriejanssen, uma ex colega de Harvard.

Nascida na Indonésia ela havia sido sua namorada dos tempos de universidade.

Por conta de sua descrição Saverin tem sido motivo de diversos boatos, mas ele se mantém afastado dos holofotes que se voltam para ele.

Eduardo Saverin Fortuna:

De acordo com a lista da revista Forbes, a fortuna de Eduardo Saverin está avaliada em mais de 16. 7 bilhões de dólares e o número vem crescendo ano após ano assim como a valorização do Facebook

O valor faz com que ele seja atualmente o segundo brasileiro mais rico do mundo atrás apenas de Jorge Paulo Lemann.

 

Para enviar seu comentário, preencha os campos abaixo:

Deixe uma resposta

*

Seja o primeiro a comentar!